Categoria: Sem categoria

POSTES DE ENERGIA PODERÃO SER GERIDOS POR EMPRESAS DE INFRAESTRUTURA, PROPÕEM ANATEL E ANEEL

As áreas técnicas das agências reguladoras de telecomunicações (Anatel) e energia elétrica (Aneel) fizeram proposta, que será lançada para consulta pública, do surgimento de empresas de infraestrutura “exploradoras de postes” que passariam a ser responsáveis por gerir a ocupação desses ativos para reordenar o seu uso nas grandes cidades e permitir a colocação de erbs de 5G.

A desordenada ocupação dos postes de energia elétrica pelas operadoras de telecomunicações nas grandes cidades brasileiras poderá ter uma solução mais efetiva a partir da nova proposta de regulamento formulada pelas áreas técnicas da Anatel e Aneel, que deverá ser submetida à consulta pública pelas duas agências.

O superintendente de Competição da Anatel, Abrãao Balbino, informou que a proposta de regulamento formulada pelos técnicos das duas agências, que irá substituir as atuais regras existentes, prevê a figura do “Explorador de Poste”, ou seja, uma empresa que poderá administrar de maneira independente os postes de energia elétrica, a exemplo do que existe atualmente no mercado de telecomunicações com as torres de telefonia celular, que são geridas por empresas independentes das prestadoras de serviços, conhecidas como “torreiras”.

“Não dá para falar que serão instaladas Erbs de 5G em postes, a exemplo do que está acontecendo no mundo, se a ocupação desses postes continuar do jeito que está”, salientou.

Segundo Balbino, na Anatel, a proposta já está para ser decidida pelo conselho diretor, e será relatada pelo conselheiro Moisés Moreira. Conforme o superintendente, a proposta formulada, que será lançada para consulta pública pelas duas agências reguladoras, prevê estímulos econômicos para que as proprietárias da infraestrutura dos postes – as concessionárias de energia elétrica – tenham interesse em repassar esse ativo para ser administrado por empresas (próprias ou de terceiros) que tenham nessa prestação de serviço a sua razão de existir.

Fonte: Tele.síntese / Imagens Unsplash

Vai reformar? Já ouvir falar de ART e RRT? Tire suas dúvidas!

Nosso lar precisa ser confortável e reformar o espaço onde vivemos faz parte da busca pelo ambiente ideal e por mais qualidade de vida. Mas isso não significa que está “tudo liberado” quando se mora em condomínio.

A segurança do coletivo é a regra primordial quando se fala em reformas em geral, mas, em condomínios, recentemente que as normas foram mais discutidas e ampliadas. A ABNT publicou em abril de 2014 a NBR 16.280, que diz respeito a execução de obras dentro de unidades em condomínios e muitos condomínios já adotaram as novas regras. A regra diz que alguns tipos de obras demandam uma análise maior, inclusive a elaboração de uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) assinada por um engenheiro ou arquiteto.

Uma ART ou RRT deve ser vista como “contrato”, já que é firmado entre as partes e serve de garantia de que quem está prestando o serviço é um profissional habilitado e supervisionado pelo órgão competente.

Quais obras precisam de ART/RRT e devem ser feitas por empresas especializadas?

Todos aqueles serviços que: necessitem do uso de ferramentas de impacto E/OU; modifiquem a conformação da edificação E/OU; alterem o uso da edificação E/OU;  alterem as partes constituintes (instalações) da edificação E/OU; modifiquem o projeto da edificação.

Alterações na instalação elétrica, que necessitem de engenheiro eletricista, também requerem ART ou RRT.

Quais obras NÃO precisam de ART/RRT e podem ser feitas por empresas capacitadas?

Em geral, serviços que: NÃO necessitem do uso de ferramentas de impacto E; NÃO modifiquem a conformação da edificação E; NÃO alterem o uso da edificação E; NÃO alterem as partes constituintes (instalações) da edificação E; NÃO modifiquem o projeto da edificação.

IMPORTANTE: Mesmo que estes serviços não exijam a ART ou RRT, sempre busque profissionais comprovadamente capacitados. Isso é essencial para que haja segurança para da sua família e do seu patrimônio, bem como do próprio prestador de serviço.

Qual seria o novo procedimento sugerido para os casos de reformas?

O condômino deverá contratar um profissional habilitado (arquiteto ou engenheiro) para elaborar laudo técnico e um plano de reforma, detalhando o que deseja realizar em sua unidade.

Com base nesse plano, deverá ser elaborada uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica).

Todos esses documentos devem ser entregues ao síndico que fará uma análise técnica e jurídica sobre a obra a ser realizada (pode depender do envolvimento do conselho ou até de uma assembleia, dependendo do tamanho da obra).

Por fim, o síndico deverá emitir uma resposta formal para o condômino, autorizando ou não o início da obra. Em caso de resposta negativa, sugere-se ao síndico conversar pessoalmente com o condômino para explicar os riscos que levaram à decisão e eventualmente achar uma alternativa para ambos os lados. Após liberado o início da obra, é importante que o condômino entregue uma lista de pessoas autorizadas a entrar no condomínio durante a sua obra (nome, CPF ou RG, empresa).

Durante a obra, o condômino é responsável por manter um diário sobre os andamentos das atividades. Quando disponível, o condômino deverá basear sua obra no Manual de operação, uso, e manutenção da edificação, além do Programa de Manutenção do condomínio.

O procedimento acima é apenas sugestão. Cada condomínio deverá definir suas regras em assembleia, buscando sempre chegar em um consenso sobre o que é melhor para o coletivo.

Os princípios da NBR 16.280 pretendem evitar desabamentos, rachaduras ou outro tipo de dano que possa impactar na segurança dos condôminos (envolvidos com a obra ou não), durante a obra e depois de muitos anos após a reforma. Uma pequena rachadura hoje, pode levar à grandes danos à estrutura do prédio no futuro. Apenas um profissional habilitado poderá avaliar esses riscos. Por isso, fique atento e não se esqueça que quando se trata de riscos de vida, todo o cuidado é essencial!?

Fonte: Jardim Trindade / Fotos Freepik

QUAL A IMPORTÂNCIA DO PROJETO ELÉTRICO INDUSTRIAL?

A instalação elétrica é indispensável em qualquer edificação e, para que haja confiabilidade e segurança, é necessário iniciar pela elaboração do projeto elétrico industrial. Uma instalação mal feita pode resultar em um aumento considerável do consumo, além de acidentes. Por isso é importante ficar de olho, quanto a importância do projeto elétrico.

Dentre os diversos projetos de uma obra, você encontra o projeto elétrico. Trata-se de uma previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes. Nele constam a localização dos pontos de energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores, divisão em circuitos, a carga de cada circuito e a total, os memoriais de cálculo, as listas de materiais, entre outros itens.
O projeto elétrico é imprescindível em uma obra. Ajustado às necessidades de cada projeto, ele é criado visando a segurança das instalações, a economia de recursos, o dimensionamento correto e personalizado para as necessidades que cada edificação apresenta e a previsão de consumo para o melhor rendimento.


Na falta do projeto elétrico industrial a simples implantação das tomadas se torna um tormento. Sabe por quê? Além da quantidade de material, o projeto calcula a carga de todos os pontos, dimensionando a fiação e os disjuntores corretamente.
Como podemos observar, o projeto elétrico é composto por mecanismos de extrema importância para o funcionamento do sistema. Afinal, se não for bem planejado, podem ocorrer acidentes como choques elétricos ou curto circuitos, que podem causar prejuízo e até riscos à saúde de quem estiver utilizando aquela instalação.

Por isso, ele deve ser feito por uma empresa ou profissional, devidamente habilitada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). Fique atento para que o seu projeto seja executado de acordo com as normas brasileiras respectivas a cada disciplina, nas revisões em vigor: NBR 5410 para instalações de baixa tensão; NBR 14039 para instalações de alta tensão; NBR 10898 para sistemas de iluminação de emergência, entre outras.


Sendo assim, é importante lembrar que uma instalação elétrica não deve ser feita apenas para funcionar, mas também para ser segura. É recomendável realizar manutenções preventivas para verificar o estado dos condutores, interruptores e outros materiais usados na instalação.

Vantagens do projeto elétrico


Muitas pessoas ignoram o projeto elétrico pensando ser algo pequeno que pode ser deixado de lado, isto é um erro muito grande e comum nas nossas obras hoje em dia. Por isso, vamos falar um pouco sobre as vantagens do projeto elétrico industrial.
Um projeto elétrico gera economia, pois será dimensionado o sistema e os materiais de acordo com a necessidade, evitando sobras e desperdícios. Além do mais, um condutor elétrico de tamanho não adequado pode esquentar mais do que o devido, provocando perda de energia, por exemplo.
Com o projeto elétrico, você terá a confiança de que poderá utilizar de forma normal e segura todos os equipamentos elétricos, sem medo de que ocorra algum problema com sua rede elétrica.

Imagens by Freepik

POSTE PADRÃO DE ENTRADA DE ENERGIA: COMO ESCOLHER?

Entenda como deve ser escolhido o Poste Padrão adequado para a sua construção.

Poste Padrão

O Poste Padrão é um conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores, disjuntores e outros acessórios indispensáveis a ligação.

Antes de tudo é muito importante saber que poste padrão não é tudo igual, existindo vários critérios que devem ser seguidos para a escolha. Vamos conhecer estes critérios e entender as diferenças?

Tipo de Ligação

O tipo de ligação pode ser monofásico (110v), bifásico (220v) ou trifásico. Esta escolha irá depender da tensão dos equipamentos instalados em sua residência ou estabelecimento comercial.

Atualmente, o mais utilizado em residências é o modelo bifásico, que permite a ligação em fase 110v e 220v, sendo ideal para ligar chuveiros ou ar condicionados em 220v e tomadas e lâmpadas em 110v.

Porém, existem também os modelos econômicos, aprovados pela CPFL, por exemplo, onde a ligação é apenas 110v e indicada para casas populares. Para casas com piscinas ou projetos que terão equipamentos de alta tensão, indicam-se os postes padrão trifásicos.

Carga Instalada

Também é necessário saber também a carga instalada, para definir o fio e disjuntor que acompanharão o seu poste padrão. Por exemplo, para uma casa em que foi escolhido o tipo bifásico (220v), encontra-se as opções B1 e B2 para compra (homologados pela concessionária CPFL) sendo a primeira para carga de até 18 KW e a segunda para cargas de até 25 KW.

Pareceu confuso? Um consultor pode te auxiliar nessa escolha, garantindo maior assertividade e evitando assim, a necessidade de troca no futuro ou reprovação da concessionária de energia na hora de solicitar a ligação.

Quantidade de relógios

A escolha da quantidade de relógios ou caixas é simples, dependendo apenas do número de residências ou comércios no terreno. As opções são: um relógio, dois, três ou quatro, a ser escolhido dependendo da quantidade de imóveis no terreno.

Local da instalação

O Poste Padrão poderá ser frontal (visor voltado para a calçada) ou lateral (para dentro da obra), dependendo do projeto desenhado. Importante: o visor deve estar em um local que possibilite o acesso dos funcionários para fazer a medição do relógio.

Fabricantes Homologados

Após ter definido todos os requisitos acima é hora de encontrar um fornecedor que tenha o produto homologado à concessionária de energia elétrica da sua região (Exemplos: CPFL, Elektro, EDP Bandeirantes, entre outras).

Lembre-se: Poste Padrão NÃO é tudo igual e a escolha adequada (desde as especificações até o fornecedor) irá garantir que você economize tempo, dinheiro e evite danos nos eletrodomésticos, além de riscos em geral.

Mas afinal, qual o custo do Poste Padrão de Entrada de Energia?

O valor irá depender dos requisitos escolhidos acima, sendo assim, podendo encontrar valores de R$ 580,00, em um modelo econômico, R$ 1.900,00 em modelos de mais caixas e maior tensão, entre outros valores a serem consultados junto ao fornecedor.

Fonte: Eletro Fort Brasil / Imagem Freepik

ECONOMIA DE ENERGIA: 5 ARTIGOS ELÉTRICOS ESSENCIAIS PARA A SUA CASA E CONDOMÍNIO!

Você sabia que é possível fazer economia investindo em artigos elétricos e tecnológicos? Alguns contribuem para uma melhor eficiência energética e outros previnem descuidos, como quando saímos e deixamos a luz acesa. Nós vamos mostrar os melhores do mercado neste post.

Economizar energia faz bem para o meio ambiente e mantém as despesas balanceadas em casa e nas empresas. Fato! Porém, é comum deixar essa preocupação de lado quando isso significa diminuir o uso de aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos, tão essenciais na nossa rotina. A ideia de economia fica ainda mais difícil de ser implementada quando entendemos que a conta de luz não depende apenas do nosso consumo, mas também da bandeira tarifária proposta pela ANEEL naquele mês.

Como essas tarifas não estão sob o nosso controle e deixar de usar eletrônicos está fora de questão, é muito importante saber que você está fazendo o máximo para conter o consumo de outras formas. Imagine a conta daquele mês em que o consumo foi extrapolado e a bandeira tarifária é vermelha? Isso toma proporções ainda mais perigosas quando se trata de uma empresa, um empreendimento comercial ou uma indústria, com alto consumo de energia.

Uma imagem contendo macaco, eletrônico, segurando, mulher

Descrição gerada automaticamente

Temporizadores

Esse aparelho permite que você programe o tempo que um outro equipamento permanecerá ligado. Atualmente a instalação de um temporizador já é mais acessível e pode ser usado para ligar ou desligar lâmpadas, computador, televisão, entre outros aparelhos.

Você pode também optar pela compra de aparelhos que já oferecem a opção do timer, como no caso do ar-condicionado e em televisões. Pode ser bem útil principalmente na hora de dormir, pois você pode programar para que eles desliguem sozinhos, já que não estão sendo usados.

Sensores de presença

Bem comum em corredores, halls e escadas de prédios, por exemplo, estes sensores permitem que as luzes acendam ou apaguem ao detectar ou não algum movimento. Ideal para ambientes em que é mais difícil controlar a todo o momento se a luz está apagada quando não tem ninguém precisando dela, né? Basicamente, os sensores de presença podem ser sensíveis à radiação infravermelha ou ao ultrassom. Já o tempo que a luz permanece acesa é possível ajustar no produto mesmo, assim você consegue programar o tempo mais adequado para cada situação.

Dimmer

Também chamado de variador de luminosidade, é um aparelho que controla a intensidade das lâmpadas. O dimmer ajuda a economizar uma vez que ele diminui a potência da luz, e com isso é possível também prolongar a vida útil da lâmpada. Além disso, ter a possibilidade de regular essa intensidade pode ser bem interessante para a decoração – e o aconchego! – de ambientes como a sala e o quarto.

Lâmpadas de LED

Esse é um dos principais itens que você pode mudar com facilidade e garantir uma boa economia. As lâmpadas de LED são bem versáteis e possuem um excelente custo-benefício em relação a outros tipos de lâmpadas, como a incandescente e fluorescente. A sua vida útil é outra vantagem: equivale a 625 dias, caso ficasse ligada ininterruptamente. Ainda que tenham um preço elevado, vale o investimento, principalmente em longo prazo. A lâmpada de LED pode oferecer uma economia de até 35%, se comparada com uma fluorescente, e de até 90%, se comparada com uma incandescente. Isso acontece porque a de LED precisa de bem menos energia (watts) para funcionar – ela converte energia elétrica diretamente em luz, além de praticamente não esquentar o ambiente para atingir sua capacidade total.

Pintar as paredes com cores claras (elas refletem e espalham com mais facilidade a luz para o ambiente), manter o lustres limpos (para aproveitar bem a potência da lâmpada) e apagar a luz quando sair são algumas ações que podem contribuir para a economia de energia, usando uma lâmpada de LED ou qualquer outro modelo. Tente também aproveitar ao máximo a luz do dia!

Selo Procel

Procure sempre adquirir aparelhos e eletrodomésticos com o Selo Procel de Economia de Energia. Ele indica ao consumidor quais são mais eficientes, consumindo menos energia. Cada equipamento possui um índice de consumo e desempenho, de acordo com a sua categoria. Com isso você garante mais economia e um consumo sustentável. Vale a pena ficar atento no momento da compra!

É interessante acompanhar a evolução da tecnologia, ainda mais quando ela proporciona facilidades como essa, não acha? Por isso, tente ficar de olho em lançamentos e produtos que podem trazer benefícios para a sua residência ou ambiente de trabalho, principalmente se proporcionar economias.

FONTE: Blog Decorwatts / Imagens by Freepik

GOVERNO ZERA IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA ENERGIA SOLAR

Devido à desvalorização do real frente ao dólar, o governo brasileiro zerou o imposto de importação de equipamentos de energia solar. A medida, publicada no Diário Oficial da União da última segunda-feira (20), visa impulsionar os negócios do setor.

Equipamentos de energia solar terão os impostos de importação zerados até o final de 2021. Entre eles, bombas para líquidos, para uso em sistema de energia solar fotovoltaico que funciona com painéis solares que captam a luz e geram energia elétrica. Também entram na lista de produtos que passam a ter as tarifas de importação zeradas os rastreadores solares, que são aproveitados em grandes usinas para acompanhar a posição do sol ao longo do dia, o que aumenta a produtividade da unidade.

Hoje, o Brasil depende principalmente da China para a aquisição desses dispositivos – o que deve facilitar a compra de módulos fotovoltaicos, além de inversores, outros acessórios e até mesmo bombas para líquidos usadas em sistemas de irrigação que sejam movidas pela tecnologia.

Entretanto, existe o receio de que fabricantes nacionais sofram impactos mercadológicos com a decisão, a serem avaliados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

De acordo com Rodrigo Sauaia, presidente da entidade, a taxa de impostos de importação para módulos solares é de, normalmente, 12%, enquanto os inversores pagam tarifas de 14%. O benefício, que isenta os produtos incluídos na lista de “ex-tarifários”, vale a partir de 1º de agosto e se estende até 2021.

Fonte: Governo do Brasil e Tec Mundo

ILUMINAÇÃO CORPORATIVA. O PROJETO IDEAL PARA O PERFIL DA SUA EMPRESA!

A iluminação do ambiente corporativo é importante para um bom um desempenho da empresa, seja para o bom trabalho dos funcionários ou para a recepção dos clientes. Um projeto de iluminação bem feito irá atribuir particularidade e funcionalidade ao ambiente. Além disso, uma iluminação bem planejada irá atuar na decoração e economia da empresa!

É importante ressaltar que cada espaço deve ser estudado e analisado para acertar na escolha do produto. Uma grande vantagem nas lâmpadas de LED é que a variação de modelos não interfere na economia e fluxo luminoso do produto. Ambientes industriais, geralmente pedem lâmpadas maiores e com um bom alcance luminoso, além de ser desejável uma iluminação clara e uniforme. Em um escritório, por exemplo, é possível inovar com um produto decorativo como os pendentes LED.

Confira abaixo algumas dicas básicas para entender como funciona a iluminação de cada perfil corporativo:

Indústria

Os ambientes industriais são os que mais pedem eficiência e praticidade na instalação. A iluminação nesses lugares deve ser clara e ampla e é também importante que a instalação seja descomplicada e segura. As lâmpadas Tubulares LED são uma opção bastante utilizada pela eficiência, economia e durabilidade que proporcionam.

Uma grande vantagem do LED é a não propagação de Raios Ultravioletas ou Infravermelhos, esse tipo de radiação além de afetar a saúde pode causar danos a produção e armazenamento de produtos industriais. Com uma iluminação segura não há riscos que afetem a produção.

Escritório

No escritório a iluminação deve ser eficiente para contribuir com a atividade, ainda assim é importante se atentar ao excesso de brilho para evitar o cansaço visual e o desconforto dos funcionários durante o expediente.

Algumas áreas podem exigir menos luz, dependendo de como são utilizadas, por isso, é importante analisar a configuração do espaço e como ele será utilizado para fazer uma boa escolha. Artigos de decoração como luminárias pendentes e de mesa podem ser muito úteis contribuindo não só com a iluminação, mas também com a decoração do ambiente.

Consultórios

As salas de espera devem ser necessariamente confortáveis para o paciente e a iluminação é item chave. Inovar no tom de luz, e apostar em lâmpadas também decorativas, como luminária e fitas LED são uma boa maneira de estabelecer uma boa comunicação visual comunicação.

Na sala de atendimento a iluminação deve ser extremamente funcional e eficiente, pois ela auxiliará o trabalho do médico ou técnico durante todo o procedimento. Além de um fluxo luminoso potente, que pode se tornar direcional ou uniforme de acordo ao produto escolhido, O LED não emite radiação prejudicial à saúde nem altera a temperatura ambiente.

Lanchonetes e restaurantes

Esses são ambientes que apresentam boa variedade de opções para apostar. A luz precisa ser eficiente para não atrapalhar a leitura do cardápio, mas também deve ser confortável para a permanência do consumidor, já que fatores como barulho e permanência no estabelecimento são afetados pela configuração de luz.

Ambientes com tom de iluminação menos potente passam a sensação de conforto, aumentando o tempo de duração do cliente no local. Se a ideia é que o cliente consuma em pouco tempo de permanência, podem ser instaladas luminárias claras em uma superfície mais alta, pois elas estimulam o rápido consumo. A não alteração de temperatura ambiente da lâmpada de LED é um ponto bastante positivo.

FONTE: G-Light

Kartodromo

Quem passa pela Kartódromo pode perceber a diferença na revitalização da iluminação local. O serviço realizado pela Águia Branca Eletro Hidráulica, à serviço da Prefeitura Municipal de São Carlos, mudou o visual e valorizou ainda mais o espaço. Com a Águia Branca São Carlos tem muito mais luz!

Crédito da foto: Prefeitura Municipal de São Carlos.

Rotatória do Bonde

Quem passa pela Rotatória do Bonde em São Carlos pode perceber a diferença que a revitalização dos pontos de luz trouxe ao local. O serviço realizado pela Prefeitura através da Águia Branca – Eletro – Hidráulica mudou o visual da praça e valorizou ainda mais um dos monumentos que mais remete à história da cidade. Com a Águia Branca São Carlos tem muito mais luz!

Crédito das fotos: Prefeitura Municipal de São Carlos.